Image

CUIDADOS COM O DESCARTE DE RESÍDUOS CONTAMINADOS COM COVID-19

10/06/2020

Com a pandemia causada pelo COVID-19 , houve um aumento no descarte de resíduos de saúde,  como máscara descartável, luvas, lenço de papel, entre outros, que estão sendo utilizados como medida de combate a proliferação do COVID- 19, com isso,  é importante que os resíduos sejam armazenados  e descartados de maneira segura e ambientalmente correta.

 

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, com a colaboração de integrantes da Comissão de Estudos Especiais de Resíduos de Serviços de Saúde da Associação Brasileira de Normas Técnicas (CEE 129 ABNT), disponibilizou o documento “Recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia por Coronavírus (COVID-19)”, no mesmo é recomendado que os resíduos produzidos pelo paciente em isolamento no domicilio, em caso suspeito ou confirmado de infecção por COVID-19, devem ser separados, colocados em sacos de lixo resistentes e descartáveis, fechados com lacre ou nó quando o saco tiver até 2/3 (dois terços) de sua capacidade, introduzido o saco em outro saco limpo, resistente e descartável de modo que os resíduos fiquem acondicionados em sacos duplos, fechado e identificado, de modo a não causar problemas para o trabalhador da coleta e nem para o meio ambiente, encaminhado normalmente para a coleta de resíduos urbanos.

 

Se o paciente estiver em condomínio, é necessário informar ao síndico ou responsável pelas medidas de segurança e higiene do coletor ou funcionário destinado a função. O prestador de serviço de saúde, que acompanha o tratamento do paciente em seu domicílio, poderá providenciar que os resíduos gerados pelo paciente nesse domicílio recebam coleta e tratamento adequados, como seus próprios resíduos. Desta forma, o envio de kit com sacos plásticos vermelhos e lacres deve ser de responsabilidade do estabelecimento, bem como a coleta dos resíduos.

 

Os resíduos provenientes das atividades assistenciais de pacientes suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo Coronavírus (COVID-19) devem ser classificados segundo a RDC 222/2018 e Resolução CONAMA 358 como resíduos de serviços de saúde do Grupo A (subgrupo A1), IN IBAMA 13/12, item 180102, ABNT 12808, risco biológico, resíduos com presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção.

 

Os resíduos devem ser acondicionados, em sacos vermelhos (recomendamos duplo, para maior segurança, até o final da pandemia), e quando ocorrer o fechamento, de preferência ao lacre, ou duplo nó, para um melhor fechamento e garantia de isolar o material dentro do saco. Esse saco deve ser identificado com o símbolo de substância infectante.

 

Para ter acesso ao guia completo da ABES com as recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia, acesse: http://abes-dn.org.br/?p=33224

 

Fonte: http://abes-dn.org.br/?p=33224

 

Solicite um orçamento